Estratégias de amostragens segundo: OSHA e NIOSH:

Seguindo etapas bem definidas, se na determinação das amostras existirem empregados expostos, a próxima etapa é a seleção desse empregado ("empregado com risco máximo") ou grupo de empregados que se acredita possuírem a maior exposição, a fim de medir suas exposições. As mesmas considerações utilizadas para a resolução por escrito, devem ser agora utilizadas para selecionar e classificar os trabalhadores segundo o potencial esperado de risco. Ao fazer a primeira determinação para avaliar os funcionários potencialmente expostos, julgou-se que os funcionários foram expostos, acima ou em um determinado nível a materiais potencialmente tóxicos, por exemplo. Na ausência de medidas definitivas de amostragem de ar, o julgamento ou seleção do(s) empregado(s) esperado com risco máximo deve ser feito através da comparação entre os níveis estimados de exposição de vários trabalhadores expostos. Em uma situação ideal, cada trabalhador potencialmente exposto deveria ser individualmente amostrado e decisões adequadas seriam tomadas no que diz respeito a não-exposição, exposição e superexposição.


Na maioria dos casos, contudo, não temos situações ideais, e a determinação inicial é muito irregular, geralmente sem medidas reais de ar. A estratégia de amostragem mais razoável, para o uso mais eficaz de recursos amostrais, é amostrar o empregado que se presume ter o mais elevado risco de exposição. Se há várias operações de trabalho resultantes de diferentes processos onde pode haver empregados expostos, um empregado com risco máximo deve ser selecionado para cada operação. Tal procedimento reduzirá consideravelmente o volume de recursos de amostragem, já que não é necessário inicialmente amostrar empregados que se pensa ter exposições mais baixas que os que têm risco máximo.


Se um trabalhador com risco máximo não pode ser selecionado de uma operação com razoável certeza, é necessário lançar mão da amostragem aleatória do grupo de trabalhadores. O procedimento é amostrar randomicamente o grupo cujos membros têm um risco de exposição esperada semelhante. O objetivo do procedimento é selecionar um subgrupo de tamanho apropriado de forma que haja uma probabilidade alta de a amostra aleatória conter ao menos um trabalhador com alta exposição, se existir. Observe que esse procedimento de amostragem parcial não deve ser utilizado quando qualquer medida de exposição de empregados revelar uma exposição acima ou no nível de ação.


Por exemplo, suponha um grupo de risco com exposição esperada igual, de tamanho N ~ 26. Para se ter 90% de confiança de que ao menos um dos 3 (isto é, 10% de 26) indivíduos com a mais elevada de todas as exposições seja incluído em uma amostra parcial, veja a Tabela da NR-22 para o tamanho requerido do subgrupo parcial, que parece ser n ~ 15. Ou seja, 15 trabalhadores seriam escolhidos aleatoriamente, a partir do total de 26. Assim, é necessário amostrar quase 60% do grupo para garantir, com 90% de probabilidade, que ao menos um trabalhador com uma exposição nos 10% mais elevados de todo o grupo, seja incluído.


Amostragem Aleatória de Trabalhadores Depois de selecionar o número apropriado de trabalhadores para amostra, é necessário selecionar realmente os trabalhadores de forma aleatória e medir as exposições.


Poluição sonora é crime? Veja clicando aqui.