ÁUDIO-DOSIMETRIA DE FONE

Método Ouro (Cabeça Artificial - ISO 11904-2)

 
 

A demanda por avaliações que geram laudos consistentes da exposição ao agente, ruído de fones de ouvido, vem aumentando consideravelmente nos últimos anos. Uma das razões se deve as Instruções Normativas e Leis do INSS, que a partir de 1995 aboliu as profissões consideradas especiais, que incluía telefonista a época, havendo necessidade desde então de comprovar o grau de exposição ao agente nocivo para se ter direito ao benefício da aposentadoria especial a partir de 1996; quando as alterações foram regulamentadas. Atualmente dentre as profissões que mais utilizam o fone de ouvido, destacamos as relacionadas com a atividade de teleatendimento que por similaridade teriam o benefício da aposentadoria especial até 1996, sem a necessidade de laudos técnicos da exposição ao agente físico ruído. No mesmo caso, outras profissões que utilizam fones nas suas atividades, também podem ser envolvidas neste contexto, como: pilotos de aeronaves, seguranças, operador de áudio, operador de vídeo, operador de câmera, operador de VT, dentre outros da área de rádio e televisão que utilizam de forma continuada head-sets e/ou fones de ouvido. Os processos e métodos de medição são consagrados há anos e devem seguir a ISO 11904, a NR 15 anexo 1 e 2, a NHO-01 complementados pela NBR 10152, como requerido na NR-17 anexo II.


Os processos de medição são semelhantes as áudio-dosimetrias onde o microfone do áudio-dosímetro é substituído pelo microfone do ouvido da cabeça artificial, padronizado, conforme normas ITU e ISO 11904-2 para este tipo de avaliação. Onde correções e considerações devem ser aplicadas por especialista na área, seguindo os itens da ISO 11904.

É determinante a capacitação e o conhecimento dos envolvidos e imperativo medir com medidor de nível de pressão sonora adequado atendendo tanto a IEC 61672 (como medidor de NPS atendendo a NHO-01 para ruído de impacto) quanto a homologação também como áudio-dosímetro. A verificação do sistema de medição é realizada com calibrador acústico calibrado conforme IEC 60942, com as devidas correções para que o valor medido seja o mesmo na altura do ombro. Isto é, se realizado medições no ambiente com a cabeça artificial acoplada a um áudio-dosímetro e com um outro áudio-dosímetro com microfone normal no mesmo ambiente, os valores obviamente deverão ser semelhantes com desvios nunca maiores que 1,5 dB, inerente as incertezas de medição. Esta fato, sugere a medição em paralelo da audio-dosimetria com fone e sem fone que atenderá as questões ambientais e de correção conforme preconizado na ISO 11904. Estas necessidades são muitas vezes ignoradas no momento da contratação dos serviços, comprometendo todo o processo de avaliação da exposição ao agente físico ruído ocupacional emitido por fone ou head-sets.


Nunca deve-se aplicar a técnica do ouvido-artificial de bancada, pois esta só é recomendada para testes e registros da resposta de fones ou head-sets, não contemplada na ISO 11904. Veja mais clicando abaixo:

A seleção do Head-Set (fones) e o programa de manutenção são muito importantes. As empresas devem exigir dos fornecedores uma curva de resposta em frequência de cada head-set novo ou os que venham da manutenção. Isso deve garantir as características técnicas do equipamento. Os mesmos devem possuir espuma e tubo de voz removível ou serem individuais para atender por completo a NR-17, anexo II. A empresa deve realizar e registrar os treinamentos que inclui as questões de conservação, higiene e substituição dos fones e partes destacáveis, além de exigir a troca de orelha pelo colaborador, obedecendo os tempos de pausa. A resposta elétrica do sinal do head-set é um documento de verificação e rastreabilidade muito importante para garantir a qualidade do produto e a saúde e segurança dos usuários.


Abaixo destacamos o sistema de medição de alta exatidão idealizado pela 3R Brasil em parceria com o DEM/PUC-RIO. Os dois canais do SV 102+ são acoplados na saída do sistema da cabeça artificial KU100 da Neumann. O SV 102+ é o equipamento mais completo e adequado para este tipo de medição com a cabeça artificial, pois mede simultaneamente com seus dois canais os dois ouvidos da cabeça em oitavas de frequência e em níveis globais com e sem normalização, sendo homologado como medidor de nível de pressão sonora e como áudio-dosimetro com capacidade de medição a partir de 40 dB(A), níveis estatísticos e contagens de pico de ocorrência atendendo também a NHO-01 para ruído de impacto. Verifica-se na figura abaixo a impressionante coincidência entre os canais quando medido o ruído ambiente ou os fones com a cabeça artificial: Ouvido Esquerdo 73,5 dB(A) e Ouvido Direito 73,8 dB(A).