TECNOLOGIA DE MEDIÇÃO DE AUDIO-DOSIMETRIA DE FONE 360 Graus

Normas, procedimentos e regulamentos

Normas técnicas são apresentadas como referência para a execução de determinados serviços e conformidades de serviços e produtos, destacando métodos exigíveis análogo as leais. Procedimentos envolvem as práticas dessas exigências e/ou métodos normativos, isto é, a execução e boas práticas, análogo aos decretos e resoluções que pacificam as Leis. Há a necessidade para a execução dos serviços especiais de avaliação ocupacional e ambiental de profissional devidamente habilitado e capacitado, isto é, pertencente a conselho de classe da área e possuindo competência comprovada por formação e práticas (ART) com destaque nas áreas de acústica e vibrações.


Então, quando é estabelecido em normativas ocupacionais a execução das avaliações de exposição ao agente ruído, por exemplo, a partir dos procedimentos da NHO-01 e os Limites da NR-15 anexo 1 e 2 do MTE, são considerados processos, terminologias, práticas e referências com os parâmetros adotados no Brasil; possibilitando a comparação adequada com os limites normativos de exposição. Assim como há microfones para medição em ambiente de trabalho, há microfones para medição em campo livre e para medição de campo próximo que seguem normas técnicas ISO com as devidas exigências de homologações dos equipamentos de medição ou partes integrantes. Nesse mesmo contexto, destacam-se, por exemplo a IEC 61672 para medidor de nível de pressão sonora e a IEC 61252 para audio-dosímetros (ver aqui sobre normativas de instrumentos de medição).


A ISO 11904, por exemplo, é uma norma para medição de emissões sonoras de campo próximo, definindo os equipamentos necessários e os métodos exigíveis para a execução de medições em fones e head-sets. Então, é parte do processo de avaliação do ruído ocupacional, aplicado para teleatendimento, rádio-difusão, telecomunicação etc. São aplicados na avaliação todas as normativas necessárias para a execução das avaliações que inclui os equipamentos de medição conforme a IEC 61672 e IEC 61252, assim como os procedimentos e parâmetros da FUNDACENTRO que tem como referencia limites em dBA na altura do ombro. Então, basta corrigir a medição realizada de campo próximo para campo difuso como destacado na ISO 11904, aplicar a ponderação em dBA e os parâmetros q=3 ou q=5, usando na cadeia de medição os mesmos equipamentos destacados na NHO-01.


A técnica do MIRE necessita de correção para cada medição devido as características individuais da orelha dos colaboradores. Contudo, a técnica da cabeça artificial, considerada técnica ouro, a correção já é realizada diretamente na verificação do sistema de medição (cabeça - medidor - linearidade abaixo de 10kHz) com calibrador acústico (corrigido conforme a recomendação do fornecedor da cabeça e fonte sonora), ajustando os valores na altura do ombro. Isto é, caso seja utilizado um audio-dosimetro no ambiente e um acoplado ao microfone da cabeça artificial como recomendado para avaliações ocupacionais, para a comparação de resultados com a orelha em abeto (sem fone), os valores medidos entre os medidores devem ser próximos com diferenças menores de 1 dB.


Essa correção de campo próximo para campo difuso é negligenciada pela maioria dos profissionais que utilizam o microfone MIRE.